?

Log in

Lirit has love problems

I'm a mess. I did everything wrong. I screwed up the whole thing and I'm sure I can't go back and make things go right.

So, I'm in love with this guy I work with (I feel bad about it but it's not a big deal if I remember that I have a really good friend at work). On
friday were just both of us. I don't feel comfortable with him to talk the way I talk to my friends and he said I was boring and "muzzy". I felt so depressed that day that I don't even know how I came home cause my mind was blank. Now I know that things won't go anywhere with him and
i can't just forget that I fell for him. I dont even think that he's the right person for me or whatever because he is a bit crude and he says things that really piss me off - on friday he said things that made me think he is not even a good person - but it's stronger than me as always. Idk what to do or what to think.

Sometimes it's like he's feeling the same for me but sometimes... Anyway. I know it's stupid but because of this I can't write, I can't think, I can't be the same person as usual. I'll be stronger but I need time to become me again. I'm sorry (i didn't answer either).
Heeeey, feliz ano novo a todos! Não que este esteja sendo um ano particularmente bom pra mim, mesmo que ele tenha começado só agora. Anyway. Voltei, porque precisava desabafar em algum lugar, e, bem, as coisas andaram mudando levemente então acho que nada melhor que voltar ao meu bom e velho blog para comentar sobre isso.

E eu decidi que iria parar de encher o saco das minhas amigas com a minha mais nova situação, porque eu achei que eu estava sendo chata até demais. Acontece que a Lirit está - de novo, vale ressaltar - (fodidamente) apaixonada. Inverno está derretendo, não que esteja virando Priimavera, só sendo o outro lado do Inverno - o que conforta, o que proporciona aquela coisa de ficar perto das pessoas de quem você gosta e então se aquecerem todos juntos tendo bons momentos, acho (ou pelo menos foi isso o que o Outono disse).

Eu pensei que estava indo muito bem na minha resolução de não me apaixonar por ninguém até achar a pessoa certa e blá blá blá (na verdade, só alguém que gostasse de mim, nada de mais), mas infelizmente eu já estava irremediavelmente assim quando eu notei. Uma das coisas que foi bem ruim nisso tudo, foi que justamente no dia anterior eu tinha decidido que eu queria realmente casar um dia, embora ache um tanto quanto improvável. Aí no dia seguinte eu decidi fazer algo, que me levou a encontrar determinada pessoa e aqui estou eu. Mas só porque eu finalmente me abri com a Nai Malfoy - ela fez eu falar enquanto estava bêbada e isso basicamente causou a revolução em mim da coisa. O que era algo só latente antes, brotou, criou vida, como quiserem dizer.

Aí eu estou aqui, procrastinando o trabalho que eu tenho pra entregar amanhã, pensando nas milhares de coisas que eu poderia dizer pra ele. Assim como eu não tenho conseguido mais escrever ou, não sei, viver direito, porque na verdade agora eu vivo pra pensar nele - o que é bem injusto, porque eu sei que ele não se sente dessa mesma forma sobre mim, não que eu atualmente me importe, uma vez que eu estou começando a fugir, de novo, do que eu quero.

Mas eu até acho que não são sensações a serem jogadas fora. Ele é a primeira coisa na qual eu penso, o motivo que me fez chegar tarde hoje na faculdade. É também a última coisa na qual eu penso, motivo que me faz também sonhar, de vez em quando, com ele. E é bom por um lado. Eu fico me perguntando se ele procurou por AC/DC e escutou as músicas pra poder comentar comigo - eu lembro que da primeira vez ele não me criticou por gostar de AC/DC, só na segunda vez em que eu falei sobre a banda. Aliás, a primeira vez que eu falei foi só porque ele demonstrou interesse. E eu me pergunto se de algum modo o fato de ele ter tentado me fazer ficar em dois estágios, foi porque ele realmente não queria que eu fosse embora. E se o fato de ele ter ficado indignado quando eu disse que não iria mais dar carona pra ele foi só porque ele gosta da minha carona e gosta de passar algum tempo comigo. E tem também o fato de que ele me perturba e prende o cabo do mouse e tira o cabo do mouse da CPU, e ele também nota o sinal que eu tenho na perna e que parece o sinal da Angélica e me perturba com isso também. E teve o tom com que ele falou "uuh, strip tease" quando eu decidi tirar o casaco e ficar só com meu vestido tomara que caia, porque eu tava morrendo de calor. Além da forma como ele falou sobre a minha mão e comparou o tamanho dela com o tamanho da dele, satisfazendo, na verdade, uma curiosidade que também era minha.

E, por outro lado, é péssimo. Porque ele fala coisas que me machucam e me fazem ficar fumaçando de ciúmes, mesmo que eu tente não deixar que as pessoas percebam isso - que ele perceba isso.

Pelo menos eu mantenho meus pés no chão. Argh, já chega por hoje ¬¬'

No seven, senve this year D8

Então. Por mais que eu estivesse toda animada com a ideia de fazer de novo esse ano - mas dessa vez com bem mais planejamento, é claro - eu não vou conseguir ter todas as fics prontas a tempo. Eu tinha um último plano desesperado para ter sete fics escritas até a primeira semana de outubro, mas o que aconteceu foi que ontem eu perdi meu pendrive, por estupidez minha, e com ele as últimas alterações feitas nas fics. Descobri que perdi mais do que esperava ou estava preparada para perder. Isso não significa que eu não vá refazer tudo de novo - eu vou refazer, sim, vai ser um trabalho de corno, sim, mas é o que me mantem viva no fim das contas. Então eu vou escrever as ideias que eu tenho, que são adoráveis e lindas,  e vou publicar quando me der na telha. Só isso. Aguardem notícias minhas em breve, crianças. Mais em breve que o esperado.

Lirit.~

SONU 2012 - Parte Um

Okay, com o fim da Sonu2012, acho que todos experimentamos aquele momento de libertação e felicidade pelo dever cumprido - afinal, foram cinco projetos aprovados apesar dos percalços no caminho.

Tivemos problemas para manter a objetividade e nos focarmos em questões que não eram da nossa alçada - e, não, eu não estou falando do projeto de resolução do Senhor Delegado da China, já que, como muito bem colocado pelo 'Kyodo' (ou Paulo Jefferson, é verdade), desenvolvimento passa por um ponto de extrema importância chamado Educação.

Também passamos por uma crise - uma Senhora Crise, devo dizer -, e por uma Festa do Pijama - responsável, salvo engano, pela considerável ausência de delegados na penúltima sessão da UNCTAD, enquanto outro comitês como o UNSC e a COP 11 estavam 'bombando'.

Processos conturbados de elaboração de projetos, propostas as mais diversas, argumentos bons para todos os lados e assuntos deliberadamente ignorados, além do clima de hostilidade condizente com nosso papel durante as sessões e do clima de amizade recém-criada nos intervalos.Nomes trocados pelas delegações - afinal, sempre seremos "Arrentina" ou "Estados Unidos", "Arábia Saudita", "Austrália", "França", "Coréia", enquanto os nomes escolhidos por nossos pais são esquecidos. E mais: Deles e Dires eleitos com toda a falta de moderação que a mesa diretora proporcionou e a informalidade que o momento de eleger o senhor Dele-Ambev exige. Tudo isso, essas ninharias, compôs esse comitê que, findo o evento, faz com que eu sinta falta de algo que acabou há apenas duas horas.

Não sei nem se consigo fazer alguém entender, através de palavras escritas tão bebadamente enquanto luto contra o sono - acumulado nos últimos quatro dias de pesquisas sem fim sempre que mais um dia acabava - o quanto eu sou agradecida e feliz pela experiência com o evento. E mais que isso, sou agradecida por ter tido a honra de participar do comitê que teve suas inscrições encerradas por falta de vagas logo nos primeiros 50 minutos. No entanto, eis que ainda tento: Agradeço a todos do comitê, de verdade, pelos quatro dias de falta de decoro, de imitações dos nossos amigos Argentinos, de 'poesia diplomática' e de defesas de interesses tão insistentes - além de todas as outras ninharias já mencionadas anteriormente.

E, repetindo o que já foi dito a algumas delegações, a menção horrorosa - ops, honrosa - nada mais é que um reflexo de todo o comitê, afinal, se não fosse a possibilidade de diálogo oferecida por todos, se não fossem as razões de cada um e a tentativa das delegações de defenderem aquilo no que seus países acreditavam, não haveria nada que pudessemos fazer. Absolutamente nada.

Queria agradecer também aos diretores, que foram adoráveis durante todo o evento, pessoas que se esforçaram durante meses para elaborar um tema, para dominar todas as regras e para manter-nos bem assessorados durante todos os dias. Acho até que o motivo do sucesso do comitê passa pela nossa vontade de fazer o trabalho de vocês valer a pena (ou pelo menos isso me passou pela cabeça todas as noites em que eu tentava entender o que raios estava acontecendo na economia mundial, prestes a ter uma crise também, mas dessa vez de nervos e cansaço, enquanto sabia que no dia seguinte teria que acordar cedo e recomeçar tudo de novo). Sério, talvez nós não tivéssemos nos destacado - e aqui volto a falar da menção horrorosa - se não fosse a necessidade de evitar que o comitê falhasse.

Por fim, agradeço a essa minha dupla que acabou me saindo uma faladeira das maiores. Gosto de pensar que fui útil pra ti e que não fui uma âncora, te puxando pra trás, mas, sabe como é pessoa com forte senso de auto-depreciação, às vezes fica difícil. Então fico feliz quando tu diz que por algum motivo - sabe lá Deus como - eu te ajudei a entender o protecionismo financeiro, fico feliz quando penso que procurar acessar as outras delegações em nome das boas relações diplomáticas não foi a pior das ideias, quando lembro que, enquanto uma tralhava abertamente, sendo a luz que a nossa Cidade Luz tem a oferecer ao mundo, a outra continuava nas sombras, trabalhando um tanto quanto na surdina, nas sombras projetadas por essa luz, buscando justamente aclarar qualquer ponto ou dúvida que viesse a surgir entre algumas delegações no que se referia ao nosso projeto - mais teu que meu (acho que nós podemos colocar a proporção em 30%, porque, por favor, não aceito em hipótese alguma 12%).

Essa foi a minha terceira SONU e, no que se refere ao meu primeiro pensamento quando o evento acabou, ele não mudou nada desde a primeira vez que eu pude participar: "Nunca mais quero entrar nisso aqui". Mas basta alguns minutos e um pouco de reflexão para que eu mude de ideia e já considere estar mais uma vez estudando e tentando superar algo que só mesmo com muita força de vontade eu tento superar: a bendita da timidez de 300% que sempre me ataca na hora de falar em público, mesmo que eu possa conversar informalmente com montes de pessoas - vai entender.

Na verdade, acho que só muito amor mesmo.

É isso.

senseless

às vezes eu simplesmente penso que não vou consegir por uma só maldita palavrra no word (ou no papel)... é um pesadelo que eu não queria ter, porque signfica que tudo vai voltar e voltar e eu não vou conseguir ser feliz se eu não consigo começar a expressar todas as coisas que me fazem feliz e que fazem eu me sentir bem e esquecer tudo o que aconteceu há alguns anos...

Acho que eu devia tentar com mais afinco...

Reciclagem

Acho que, considerado a minha situação atual das coisas, eu vou desistir das fics que eu comecei recentemente e começar novas fics, seguindo o padrão do que eu quero ler. Só não vou desistir da fic que é quase um crossover de Suits e Inception, porque eu gosto da ideia, embora ainda não saiba como vou fazê-la funcionar. Vou reciclar algumas coisas da Stony que eu tava escrevendo e vou começar uma nova. Dessa vez de romance puro. Achei um novo objetivo para as minhas fics.

Ontem eu tava lendo uma fic Arthur e Eames e voltei a sentir aquela dor boba que você sente quando você gosta de verdade de um OTP e lê algo... não sei, intenso - e não apenas pelo porn. Então eu decidi que vou seguir esse caminho agora, porque eu estou simplesmente encantada com o  que eu li - e olhe que a fic era em inglês e meu inglês nem é tão bom assim.

Eu só preciso achar um tempo entre traduzir mangás, betar fics, ser uma estagiária escrava, a irmã motorista, a filha dama de companhia, a garota tentando ser bonita, a insatisfeita atrás de um novo trabalho pra abandonar o atual estágio, a estudante de greve que fica até tarde no computador fazendo nada (no tumblr, na verdade) e então acorda tarde e perde metade da vida desse jeito, a empregada doméstica que tem coisas pra limpar em casa todos os dias...

Ou vocês acharam que o aviso no meu profile era só coisa de autora metida? xD

OTP vs Outros Ships

Eu estava me perguntando agora há pouco qual o meu problema. Porque às vezes me parece tão egoísta escrever só sobre o que eu gosto. Mas aí eu cheguei à conclusão de que é muito mais fácil escrever sobre o que se gosta, assim como é muito mais fácil falar sobre o que se gosta.

Dia desses, enquanto eu voltava do estágio, conversando com as novas estagiárias (bom, elas moram aqui perto então eu pensei que não custava oferecer carona), falei sem parar por bons minutos sobre Suits e Common Law, que são as séries que eu estou assistindo no momento - e, Gawd, elas são ótemas. Então eu falei e falei, mas quando o assunto morreu, qualquer outro assunto que eu tentasse puxar durava bem pouco.

Porque não é a mesma coisa falar sobre algo que você gosta e outra que você nem gosta tanto assim. Eu estava pensando sobre como eu poderia discorrer durante horas sobre o Arthur e o Eames, sendo que eles dois na minha cabeça vivem uma vida até normal e sem talvez toda a emoção do filme (mas isso seria quando eles ficam nos EUA após a inserção da ideia no Fischer), mas, não sei, pequenos detalhes que fazem a história ficar adorável brotam na minha cabeça, enquanto para outros ships que eu vou escrever, apenas porque são dívidas na verdade, fica bem mais difícil imaginar muitas coisas.

O fato de que eu coloco essas fics que eu não consigo escrever tão bem na prioridade acaba causando meu bloqueio e BAM é por isso que a Lirit não posta fics há mais ou menos um mês e meio - eu acho.

Eu devia, sinceramente, empurrar as dívidas com a barriga mais um pouco. Quem sabe, eventualmente, eu consiga manejá-las para um final feliz.

(e eu sou um ser contraditório, então perdoem qualquer coisa)

Toda a minha frustração com Stony

Você, que me segue no tumblr ou que teve a chance de conversar um pouco comigo nos últimos meses, deve saber (se não sabe, já é hora de ficar sabendo), que eu tenho um amor enorme, enorme, enorme por Stony. Chame de obsessão, coisa de gente maluca, nem me importa, porque isso é o que um OTP é e eu estou feliz com isso.

Por outro lado, o que me frustra com  o ship (e, sim, eu tenho lá minhas frustrações com o ship), é simplesmente porque eu tenho sentindo uma maldita vontade de abraçar o mundo com as pernas. Eu preciso sempre escrever com esses dois e tenho tantas ideias que eu não consigo organizá-las ou escrevê-las todas. Sinceramente? Eu um dia acabo parando de escrever - ou talvez conseguindo um jeito de me organizar e escrever todas, porque a frustração está me consumindo de um jeito angustiante (e esse pode ser um dos motivos para das minhas crises de ansiedade em que eu não consigo fazer nada).

Argh, é isso. Pelo menos metade desse sentimento vai embora agora que eu escrevi. D8

Post Pós-SANA

Então eu fui pro SANA (12?), mas só no sábado. Acho que estou ficando velha demais pra esse tipo de convenção (embora eu ainda vá tirar um ano para ir pra Comic-con), mas só porque eu me canso fácil. Sei lá.

Mas acho que as coisas continuam beeem como sempre. Até mesmo eu. Andei, andei, cantei (mas só enquanto observava as apresentações do pessoal no animekê), comprei coisas, assisti animes, andei mais um pouco, vi cosplays, encontrei amigos e tals. Só não fui ver os desfiles de cosplay na sala principal, porque não deu mesmo pra entrar.

Entretanto, eu comprei uma blusa do Capitão América, uma do Homem de Ferro, comprei uma caneca do Homem de Ferro, dois colares (um de mustache e o outro com um gato como pingente), chaveiro e bottons (sempre eu compro pelo menos um bottom). E foi divertido e fim, acho.

Vou ali, ser feliz com minha caneca do Homem de Ferro e meu super sanduíche de queijo (que, na verdade, é praticamente o mesmo sanduíche com que Pepper Potts conquistou Bruce Banner - ou pelo menos na minha cabeça maluca, sim, ela o fez). 

Homem-Aranha sem a companhia de sempre

Eu fui ver The Amazing Spiderman hoje. E foi estranho. O filme é MUITO adorável, eu gostei muito, mas, não sei. Acho que desde a primeira vez que eu vi o Homem Aranha no cinema, em duas das três (agora 4) vezes, eu vi com o o meu irmão. E hoje eu não pude estar com ele ali, do meu lado vendo o filme, então eu praticamente chorei no início, só por causa disso, porque eu sinto falta dele. Até demais. A gente pode ter brigado horrores quando éramos mais novos e nós talvez não tivéssemos a relação fraternal mais bonita do mundo, mas ele era alguém com quem eu falava. Eu podia não falar nada com quem quer que fosse no mundo lá fora. Eu podia ser a eterna ouvinte, mas eu sabia que quando eu chegasse em casa eu iria ter com quem falar sobre absolutamente tudo, tudo, tudo. Ele sabe até sobre meu gosto por yaoi e sobre os ships e sobre as fics. Ele finge que não se importa, mas eu sei que sim, porque nisso nós dois somos iguais. E ele não gosta de falar muito, então tinha dias em que eu vinha, sentava no quarto dele e falava, mesmo que ele não prestasse atenção, porque eu sabia que ele era igual a mim também nesse negócio de ser sozinho. Agora eu sento aqui, no mesmo quarto, na frente do computador. E não tenho ninguém com quem falar na casa vazia.

Quando eu era só, eu não era realmente só. E ser de fato só não tem sido a mais divertida das experiências.

Love u brother. Come back home someday, kay?

Latest Month

January 2013
S M T W T F S
  12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Syndicate

RSS Atom
Powered by LiveJournal.com
Designed by Lilia Ahner